O Fado

guitarras

Bom dia planeta terra 😉 Apesar de uma súbita, irresistível e inexplicável vontade de comer umas fatias de presunto, hoje quero-vos deixar umas notas sobre o fado e os fados portugueses. Ainda que a sua forma musical tenha aparecido em Lisboa, pelo século XIX (O fado… geralmente lento e triste, sobretudo quando fala de amor ou de saudade; saudade quer do que se fez, quer do que se deixou de fazer – não há como não lamentar), a sua conceptualização data de Agosto de 1578, quando assentou a poeira da Guerra dos Três Reis. A partir daí o nosso destino (português) ficou traçado por um “fatum” (latim – oráculo, previsão, profecia), forças das quais, nada nos tem podido livrar. Só vislumbro uma forma de esconjura: – Fazer o funeral de D. Sebastião (ao estilo do “Enterro do Bacalhau”) e criar uma boa convicção de que o destino não se nos oferece, constrói-se.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Filosofia de Vida.. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s